sábado, 29 de junho de 2013

"Os barulhos" do silêncio

Será possível? Para dizer bem a verdade eu só escuto os mais lindos "barulhos", quando me encontro com o silêncio. Há poucos minutos eu estava sozinha caminhando no campo, então me senti maravilhada com o silêncio. Aos poucos comecei a detectar sons, esses que só quando estamos num silêncio relativo podemos detectar.
Sentei sobre uma pedra e fiquei a contemplar, dei valor aos meus olhos, porque me levaram à bela paisagem rural, verde, azul e amarelada de um dia frio de inverno. Os pessegueiros querendo iniciar a florir, a água do açude que parecia arrepiada pelo frio e o discreto vento, mas que nem por isso afugentou algumas aves que ali nadavam. Outras aves voavam trocando de árvores.
De repente, muito próximo, ouvi o barulho de assas que lutavam com o ar,então passa um belo tucano que para me agradar pousa na árvore mais próxima. Que espetáculo! Eu não tinha máquina digital e, nem sequer, um celular para fotografá-lo, mas não importa, o registrei na minha mente. Então agradeci pelos meus óculos, pois ajudam muito meus olhos. Acho que foram uns 5 minutos de contemplação.
Ouvi o barulho suave do vento, o bater das galhos das árvores, um discretíssimo ronco de um trator que vinha de longe....que Maravilha esse silêncio, pois só nele escuto os pequenos ruídos.
Na cidade estou tão acostumada com sons intensos que não capto mais àqueles pequenos e tão agradáveis.
Meu silêncio foi interrompido pelo barulho feito pelo meu cão Negrinho que se jogava na água, ele adora ver o sustos dos marrecos! Após, todo molhado,se sacudia e queria pular em mim...adoro suas brincadeiras.
Bendito silêncio onde me encontro cada vez mais comigo mesmo! Bom sábado amigos.



sábado, 22 de junho de 2013

É inverno, 22 de junho de 2013.

Repentinamente senti saudades de postar no meu blog. Com a adesão ao Facebook, aposentei o mesmo.
Hoje é sábado, estamos no sítio em Morro Redondo, desde ontem à noite. Foi uma sexta-feira muito chuvosa em Pelotas, mas após encerrarmos uma semana de trabalho, eu e o marido, sem perder tempo, nos jogamos na BR 392, rumando para nosso refúgio dos finais de semana.
A chuva forte deu uma trégua bem no momento em que já chegávamos no sítio, às 20 horas. O cão Negrinho, nos saudou muito feliz. Providenciamos a lareira, o bom vinho, fizemos nosso lanche, conversamos com o caseiro. Novamente "despencou" aquele temporal, porém já estávamos muito aconchegados em nossa casinha.
Na TV as notícias eram sobre os recentes manifestos, até a presidente Dilma deu "umas palavrinhas"! Os jornais também destacavam as notícias sobre a Copa das Confederações.
Dormimos aos som do "silêncio", esse só atrapalhado pelo também maravilhoso barulho do vento e da chuva.
Hoje é sábado, meu dia predileto, amanhecer maravilhoso, a chuva deu um tempo. O marido na cozinha preparando um delicioso café na cafeteira italiana. A lareira já mostrando sua luz e seu calor.Come sempre preparei o mate e o dividi com o parceiro Cachoeira. Às 10 horas, ida ao centro de Morro Redondo, para pequenas compras.
Almoçamos um filé de linguado preparado no forno (eu fiz, acreditem), com cebola, pimentão e tomate, além de outros temperos. Um bom cálice de vinho e de sobremesa um charuto (agora só tenho fumado nos finais de semana).
Hoje estamos sem visitas no sítio, as filhas viajaram e o Felipe só vira aqui amanhã.
Após 40 horas de trabalho durante cinco dias, eu julgo que aqui é o "paraíso"!
Em 15 minutos, vamos assistir ao jogo das seleções brasileira e italiana.....Que vença a que for melhor.