quarta-feira, 16 de junho de 2010

Patriotismo! É isso ai...

Terça-feira, 15 de Junho de 2010, são 15 horas. Já estou saindo da Unidade de Saúde Básica (posto de saúde) onde trabalho como médica até às 17 horas, diariamente.
Hoje a Seleção Brasileira de Futebol, comandada pelo técnico Dunga, estreia como participante na Copa do Mundo, em território africano.
O bairro onde trabalho está no auge, são muitos trabalhadores que retornam nesse horário, pois hoje o BRASIL inteiro está parando mais cedo.
Na rua há crianças com bandeirinhas, carros também embandeirados, algumas ruas decoradas, gente com apitos, são cornetas (vuvuzelas), camisetas verdes e amarelas e outros adornos. Sente-se um "cheiro brasileiro no ar".
Não importa a idade, a cor, o sexo, a classe social, é um povo unido na mesma emoção, isso já dizia em uma canção.
Não é só a paixão pelo futebol que une tanta gente diferente, com certeza! Mas me atrevo a classificar esse momento de patriotismo .
Imagino que em quase todos os lugares povoados desse imenso e belo Brasil, as pessoas se encontram nessa expectativa. Alguns podem até dizer que são contra o evento, contra o futebol, falam que é ópio mundial e outras classificações, mas do Oiapoque ao Chui existem elos que formam a imensa corrente.
Confesso que me emociono e me orgulho de ser brasileira nesse momento.
Ser patriota é amar a nação, apesar de tudo.
Alguns intelectuais acham que a pátria é somente um território, um pedaço de terra, acham que ser patriota é xenofobismo.
Para mim patriotismo é amar a terra onde nascemos, é ter orgulho de nossa cultura, de nosso povo, de nossa espetacular beleza natural, é ter respeito com nossos cidadãos, é ter o cuidado com nosso espaço ambiental.
Brasil não é apenas a faixa territorial que o representa, o Brasil somos nós.
Viva o futebol que consegue tão bem nos fazer sentir patriotas.
Viva o VERDE-AMARELO, viva nossas cores.
"Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!" Olavo Bilac



Eu e minha fiel amiga Pupy, aguardando a estreia da Seleção Brasileira

domingo, 13 de junho de 2010

De olho na Copa do Mundo.....


"Todos juntos vamos, pra frente Brasil, salve a seleção........"

domingo, 6 de junho de 2010

Domingo no meu bairro, Recanto de Portugal, Pelotas.

Em outras postagens sempre tenho escrito sobre meus finais de semana em nosso sítio. Nessa semana tivemos um “feriadão”, ou seja, um final de semana prolongado, pois o feriado de Corpus Christi, caiu numa quinta-feira, sendo que na sexta-feira, tivemos ponto facultativo na maioria das repartições públicas e particulares de Pelotas.
Voltamos do sítio, eu e meu marido, no sábado à tardinha, pois à noite tínhamos o aniversário de 15 anos da filha de uns amigos. Domingo ficamos na cidade, aproveitei para passear no meu ciclo-motor elétrico, na praia do Laranjal e no meu bairro, Recanto de Portugal.


Nasci e moro, até hoje, na cidade de Pelotas, localizada no Estado do Rio Grande do Sul, o mais ao sul do Brasil. Possui uma população de cerca de 350.000 habitantes e é a terceira cidade mais populosa da região sul. Está localizada a 250 quilômetros, da capital do estado, Porto Alegre.
Minha cidade, como boa parte das cidades do sul do Brasil, teve como origem principal a colonização portuguesa. Esses imigrantes, dos quais sou uma descendente, influenciaram nossa cultura, principalmente no canto e na dança, nossa arquitetura e muito na nossa culinária. Pelotas é conhecida como a Capital Nacional do Doce. Essa herança, conservada até hoje, foi trazidas pelos portugueses. Nossos doces preservam as receitas tradicionais portuguesas, cuja base é ovos e nozes.
Há aproximadamente 22 anos, habito o local conhecido como Recanto de Portugal que é um sub-bairro da praia Laranjal, ficando bem próximo das famosas charqueadas de Pelotas.
Fica um pouco mais distante do centro da cidade, em torno de 7 km, é um sub-bairro relativamente grande, mas ainda carece de melhorias na infra-estrutura. Suas ruas não são pavimentadas, exceto a que conduz à sede campestre do Clube Centro Português. Grande parte do sub-bairro fica na beira do Arroio Pelotas. Esse arroio drena o município, desaguando no Canal São Gonçalo, canal que liga a Lagoa dos Patos à Lagoa Mirim.
Nosso Arroio Pelotas, ao qual chamamos de “o rio”, também não resistiu aos “assédios” da poluição. Atualmente suas águas não são próprias para o banho, embora algumas pessoas ainda o façam.
Já foi um local bem mais sossegado e tranqüilo, havia segurança. Nossas casas não precisavam de tanto aparato como grades, muro altos, cães de guarda de raças bravas, alarmes e outras formas de impedimento aos “amigos do alheio”. Meus filhos criaram-se brincando em suas ruas, pedalando suas bicicletas, jogando futebol, etc. Mas isso é coisa do passado, hoje temos todos os perigos como qualquer cidade de porte médio do Brasil.



O lindo Arroio Pelotas, observem os "rastros" dos seres humanos nas margens.


Antiga sede campestre do Clube Centro Português de Pelotas.

Nova sede Campeste do Clube Centro Português de Pelotas.


Todas as ruas tem nomes de cidades e locais de Portugal.


Terreno adquirido, no Recanto de Portugal, por meu filho. Possivelmente construirá sua casa nesse local.


Casa de meu sobrinho e afilhado, recentemente construida no Recanto de Portugal.


Vista lateral de nossa casa que, no momento, aguarda início de nova pintura de paredes externas.