terça-feira, 27 de abril de 2010

Pânico na arte

Situação de medo, Desespero, Aversão, Susto, Pavor Repentino.


O pânico na pintura


Edvard Munch (1863-1944), foi um pintor norueguês, um dos precursores do expressionismo alemão.

Munch foi pintor e gravador de angústias existenciais e ameaças invisíveis.


O Grito - 1893

Aos trinta anos ele pinta O Grito (1893), considerada a sua obra máxima, e uma das mais importantes da história do expressionismo. O quadro retrata a angústia e o desespero e foi inspirado nas decepções do artista tanto no amor quanto com seus amigos.Foi unanimamente interpretada como a personificação do pânico pela vida e pela solidão do homem moderno.

O pânico no cinema

A máscara do assassino do filme Pânico (1996) dirigido por Wes Craven, foi inspirada no quadro “O Grito”, de Edvard Munch.



O Pânico na poesia
Murilo Mendes, “A poesia em pânico”


Escrever poesia no Brasil é viver em claustrofobia. O poeta respira um ar rarefeito. Tudo se fecha a sua volta: ele está em pânico. Habita uma espécie de limbo, zona fantasma, onde nada do que produz encontra eco ou ressonância.

O pânico nas nossas vidas

A arte imita a vida ou a vida imita a arte? ou
A arte que imita a vida que imita a arte que... é a própria vida.
(Maria de Fátima Seehagen)

domingo, 18 de abril de 2010

Valeu Lobão!


Não deu para o Lobão, mas foram 90 minutos de luta em pleno Gigante da Beira Rio em Porto Alegre. Os dois primeiros gols foram do Pelotas marcados pelo jogador Clodoaldo mas o Inter, ainda no final do 1º tempo, fez seu primeiro gol.
Já estávamos sentindo aquele "gostinho de vitória", tão merecida pela bela campanha desse time do interior, recém elevado, novamente, à 1ª divisão, porém o adversário com todo seu poder de grande time, virou o jogo. Resultado: Internacional 3 x 2 Pelotas.
Foi uma bela campanha do guerreiro Lobão. Obrigada por nos dar tantas alegrias nesse Gauchão de 2010.
Valeu jogadores, valeu nossa torcida, valeu nosso técnico Beto Almeida, valeu nossos dirigentes.


sábado, 17 de abril de 2010

Futebol, paixão, promessa!

Futebol, paixão de um grande número de pessoas, principalmente no Brasil. Não estou fora dessa, pois adoro esse esporte. Não o pratico, mas acompanho os jogos do Campeonato Gaúcho (agora com meu time novamente na 1º divisão - E. C. Pelotas - o "Lobão"), do Campeonato Brasileiro, da Taça Libertadores da América, da Copa do Brasil e da Copa do Mundo.
O Campeonato Gaúcho de Futebol é disputado anualmente no estado do Rio Grande do Sul, sendo um dos mais antigos do Brasil. Iniciou-se em 1919, tendo sido interrompido apenas entre 1923 e 1924, devido à Revolução de 1923.(Wikipédia)
Na décima edição desse campeonato, apesar de ser no ano de 1930, seu término somente ocorreu em 1931, devido a Revolução de 1930. O campeão foi o E. C.Pelotas,meu querido aureo-cerúleo,tendo como vice-campeão outro time do qual também sou torcedora, principalmente no Campeonato Brasileiro, o Grêmio Futebol Portoalegrense, de nossa capital.
O Grêmio e o Internacional, times grandes e ricos da capital, geralmente levantam a taça de campeões.
Lá se passaram 80 anos, pois estamos em 2010. O nosso E.C. Pelotas, recém retornou novamente a elite do futebol gaúcho, com grandes chances de amanhã, domingo 18 de abril de 2010, ser campeão da 2ª etapa do gauchão,se conseguir ganhar do Internacional, podendo vir a disputar o título de campeão com o Grêmio, campeão da
1ª etapa. Seria novamente como na final de 1930: Grêmio x Pelotas. Que sonho!
No domingo passado, 11/04/2010, estávamos em família no nosso sítio, situado em Morro Redondo. O E. C. Pelotas disputava a semi-final com outro clube lá em Porto Alegre, o São José. Saímos ganhando de 1 x 0, mas no segundo tempo o adversário empatou. Tivemos 2 jogadores expulsos, foi um sufoco, mas conseguimos levar a disputa para os pênaltes. Ganhamos o jogo!!!
Naquela hora "prometi" que pelo feito aureo-cerúleo,que antes do jogo de amanhã,iria caminhar os 6 km de estrada de terra, com subidas, descidas e muitas curvas, que separam nosso sítio da estrada de asfalto.
Promessa cumprida! Aqui estão as fotos da partida, caminhada e chegada.
Para completar na entrada do sítio deparei-me com essa dália amarela!!!!! Bom sinal.
BOA SORTE MEU LOBÃO!









sábado, 3 de abril de 2010

Óbice consubstanciado


Gosto de ler, mas gostaria de ler mais do que tenho lido ultimamente. Mas como dei uma diminuída na minha prática desportiva, principalmente no pádel, o que tenho jogado apenas nas quinta-feiras das 19 horas às 20 horas, sobra mais tempo para outras "coisas igualmente boas", entre elas a leitura.
Ando gostando de comprar livros, cujos títulos, não estão nas lista de "os mais vendidos" ou de escritores renomados e muito "badalados".
Cada vez que lemos uma dessas obras, sempre nos deparamos com palavras que estão fora de nosso vocabulário próprio. Esse nosso português é mesmo muito rico. Quando pegamos um dicionário de Língua Portuguesa, sentimos nos braços, o peso do enorme volume de palavras e seus significados ali contidos.
Ontem acabei de ler um livro o qual escolhi pela aparência da capa, comprei o mesmo sem saber de qual tema se tratava, também nunca tinha lido nenhuma outra coisa do autor.
Gostei.O Fazedor de Velhos, de Rodrigo Lacerda, nos conta, de maneira terna, bela e generosa, como Pedro resolve esse murundu existencial que é saber o que fazer com a vida. Trata-se de um romance de formação, uma história em que um escritor narra, mudando uma coisa aqui, outra ali, como veio a ser o que é.
Numa das frases, em algum parágrafo do livro, um dos personagens usa o termo óbice consubstanciado. Achei maravilhoso! Eu nunca falei ou escrevi essas duas palavras em meus 52 anos de vida.
Ora, eu nunca pensaria em usar a palavra óbice querendo dizer impedimento, embaraço, empecilho, obstáculo, estorvo. Nem tão pouco a juntaria com o termo consubstanciado, ou seja, justificado ou fundamentado. Mas ficou bonito!
O livro é bom, gostei da forma desse escritor se expressar. Certamente lerei algumas outras obras do mesmo.
Boa semana!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Hoje, uma Quinta-feira, nada "Santa"!

Quinta-feira Santa é o dia anterior à Sexta-feira Santa, da Semana Santa. Marca o final da Quaresma (período de quarenta dias que antecedem a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa). Nesse dia, Cristo ceou com seus Doze Apóstolos, na última ceia.


Sou de origem lusitana, católica de batismo e, de certa forma sempre criada dentro dos padrões da Igreja Católica. Estudei em colégio de freiras durante 13 anos, fui crismada, fiz a 1ª Comunhão e casei -me na Igreja. Não sou divorciada, há 32 anos sou casada com “o mesmo marido”.
Todos os anos que estudei no colégio de freiras, Quinta-feira Santa, era feriado. Lembro que nesse dia já havia aquele “clima” de preparação para a Sexta-feira Santa. Nas rádios só se ouvia música erudita e falava-se baixo . Lembro bem da procissão de Nosso Senhor dos Passos, nas ruas da cidade. A imagem de Cristo, com coroa de espinhos, roupa roxa e carregando uma cruz, me causavam um certo "medo" (sempre fui uma criança assustada). No dia seguinte, minha mãe e minha avó iam à Catedral de Pelotas, eu ia junto. Cristo já estava preso a cruz, com a genitália coberta por lençol. Minha avó, beijava os pés daquela imagem.


No cinema passavam-se filmes sobre a Paixão de Cristo. Comer carne!! Nem pensar... Foi ai que talvez tenha me apaixonado por peixes e outros frutos do mar.
Sábado de Aleluia, que bom... Hora de preparar o ninho para os ovinhos de chocolate. Lembro da cestinha de vime com palha de madeira....Viva o DOMINGO, é Pascoa, Jesus ressuscitou.... O “coelhinho deixou os ovinhos” (afinal eu era “comportada!”).


A Segunda-feira de Páscoa é o dia que sucede o Domingo de Páscoa, “ Segunda-feira da Renovação" é feriado em numerosos países de todo o mundo.Na minha escola também era feriado. Era um grande FERIADÃO, 5 dias seguidos de folga...
Ainda sigo o Cristianismo, mas não tenho mais sido uma católica “praticante”. Atualmente, além de meu trabalho como médica, junto à Secretaria de Saúde de minha cidade, também lesiono no curso de Medicina da Universidade Católica de Pelotas.
Durante todos esses anos, a nossa prefeitura tinha a Quinta-feira Santa, como ponto facultativo (traduzindo:"sempre era feriado na maioria dos órgãos públicos municipais"). A Universidade Católica chegava até dar feriado aos professores e funcionários na segunda-feira após a Páscoa (ano passado foi assim, lembro bem).
Na agenda acadêmica 2010, que me foi dada pela UCPEL, no início desse ano letivo, consta dia 01 de abril (quinta-feira) como feriado acadêmico (Semana Santa). Os meus alunos , na quarta-feira despediram-se falando do feriado e comentando que iam, na sua grande maioria, retornar às cidades de origem.
Por isso fiquei com aquela sensação de que, quarta-feira, após às 17 horas, só voltaria ao trabalho, na segunda-feira dia 05 de Abril.
QUE ALEGRIA!!!! ANDO CANSANDO, ACHO QUE É O PESO DA IDADE!!!
Embora não indo viajar, fiz planos de colocar algumas coisas de minha casa e de minha mãe (85 anos, tudo resolvo para ela...) em dia. Era um dia útil no comércio, bancos...
E de repente:



Ao meio dia da quarta-feira, fiquei sabendo que o feriado de alguns professores da UCPEL, só seria apartir de sexta-feira, ou seja, os que atuam no ensino nas Unidades Básicas de Saúde, deveriam trabalhar, bater o ponto, etc. Os demais liberados.
Na minha Unidade Básica de Saúde da Prefeitura, optou-se por não fazer feriado, mas só eu, o recepcionista e o enfermeiro comparecemos....Noutras UBS não houve atendimentos.
Pior de tudo, foi um dos dias mais conturbados de trabalho....Na UBS da UCPEL, pela manhã, abri vários Pré-natais (são vários papéis para preencher, além da consulta, é claro, que por natureza é demorada).
No meio da manhã, minha mãe, de 85 anos, solicitou-me vários "favores" que "tinham" que ser cumpridos hoje...ufa!!!! Compras no supermercado (um listão), farmácia de manipulação e bancos...em véspera de feriadão!
Sai do trabalho ao meio-dia, almoçei fora de casa e sai para os "afazeres de minha mãe".
Quando olhei no relógio, já era hora de começar o expediente do turno da tarde.
Passsei num posto de gasolina para pedir o banheiro emprestado!!! Odeio banheiros públicos!
A tarde foi quente, apareceram pacientes porque viram a porta da UBS aberta. Uns só queriam "favores" (atestados, exames pedidos por outros convênios para serem repassados para o SUS, etc.). Mas, até coisa ruim acaba....
Às 16 horas e 30 minutos não havia mais movimento na UBS, de certo os pacientes foram comprar "as páscoas"! Que cansaço!!!! Ufa!
Mas amanhã é SEXTA-FEIRA, feriado, dia de comer peixe e camarão,minha mãe vem almoçar conosco. Não tenho mais medo de Nosso Senhor dos Passos, não acredito mais no Coelhinho da Páscoa, não sou católica praticante, mas ainda sou cristã.