sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Cão e Gato, na sexta-feira 13

Hoje é dia 13 de novembro de 2009, SEXTA-FERA!
A crença de que o dia 13, quando cai em uma sexta-feira, é dia de azar, é a mais popular superstição entre os cristãos. Há muitas explicações para isso. A mais forte delas, seria o fato de Jesus Cristo ter sido crucificado em uma sexta-feira e, na sua última ceia, haver 13 pessoas à mesa: ele e os 12 apóstolos.
Contudo, poucos sabem dizer qual é a verdadeira origem da “Sexta-feira 13”. De fato, as possibilidades de explicação para esta crença se encontram difundidas em diferentes culturas espalhadas ao redor do mundo.


Não quero, nesse dia, comentar sobre AZAR ou SORTE. Hoje o fato que me sensibilizou ocorreu às 08 horas da manhã, quando eu ia para o trabalho, envolvendo um cão e um gato.
Costumo sair de casa sempre "com o horário apertado", acho que não tem "cura esse mal". Dificilmente falto ao serviço, mas costumo chegar na hora exata ou alguns minutos após. Porisso vou sempre atalhando o caminho para chegar a tempo.
Hoje dobrei na rua que leva a sede da RBS TV Pelotas, no bairro Areal. Ai peguei uma pequena quadra que conduz a rua Mário Peruque.
No encontro dessa quadra com a rua Mário Peruque há uma curva,nela obsevei uma motocicleta que desviava de algo. Era um pequeno gato siamês, indeciso se retornava ao acostamento ou atravessava a rua.
Diminui a velocidade e fiquei observando. O gatinho retornou ao acostamento e aproximou-se de um filhote de cão, morto. Parei o carro, pasmem, o gatinho andava na volta do pequeno cão e o cheirava. Senti que deveriam se conhecer previamente.
Próximo à cena havia um armazém, com uma senhora na frente. Perguntei se conhecia o dono dos animais. Ela disse que não e contou-me que alguém, de carro, os havia abandonado ali, desde ontem.
O cão, acabou sendo atropelado e morreu, então o gatinho ficou parado ao seu lado, mas já estava começando a tentar atravessar para o outro lado da rua.
Eu não tinha como pegar o gato. Adotá-lo nem pensar, pois, infelizmente, meus cães não gostam de gatos e, como eu já estava atrasada, não pude resolver o problema do gato, levando-o a algum lugar em que pudesse ser adotado ou mais seguro do que aquela esquina.
Várias vezes durante o dia a cena me veio a memória.
Como podem abandonar dois filhotes, ainda mais num lugar tão perigoso, onde a morte é quase certa?
Com cereteza, não é o cão o maior inimigo do gato, mas o homem o pior amigo dos animais! Com exceções é claro.

Um comentário:

Raquel Barboza Lhullier disse...

É verdade
situações de abandono são sempre terriveis,
e com animais nem se fala... muito triste.
E que bicho é o homem? um ser racional?
ps: linda a foto!!!!